Archive for 25 de outubro de 2008

h1

Um bom conselho (para escritores)

outubro, 25 - 2008

“Muitas pessoas vêem a arte como uma forma de controle. Eu a vejo principalmente como uma questão de auto-controle. É assim: em mim existe uma história que quer ser contada. Ela é o meu fim; eu sou o seu meio. Se eu puder me conter, deixar meu ego, minhas opiniões, minha bagunça mental fora do caminho e encontrar o foco da história, e acompanhar seus movimentos, a história se contará por si mesma.”

Ursula K. Le Guin

I’m trying to find this focus, it’s really hard.

Anúncios
h1

Na trilha dos UFOs

outubro, 25 - 2008

Sempre que as evidências sobre a aparição de OVNIS, relatos de abduções e de contatos imediatos vêm à tona através dos meios de comunicação, ficamos com aquela pulga alienígena atrás da orelha: será verdade?
A visita de seres do espaço parece uma hipótese fantástica demais para explicar alguns simples fenômenos luminosos no céu – assim dizem os céticos –, porém, com tamanha quantidade de evidências e documentos que têm se somado ao longo dos anos, ingênuo seria acreditar que nada de muito estranho esteja acontecendo.
O mais recente lançamento da Tarja Editorial, De Roswell a Varginha, vem especular sobre os acontecimentos mais surpreendentes da ufologia e as artimanhas dos governos e juntas militares para acobertar os fatos. Ninguém mais indicado para abordar a questão do que Renato A. Azevedo, que é colaborador de longa data da Revista UFO e tem contato com estudiosos da ufologia.
O livro traz uma mescla de ficção policial com documentário ufológico e lembra um pouco os episódios da série Arquivo X. O protagonista da saga, Roberto, é um ufólogo, uma espécie de Fox Mulder brasileiro, que é acionado por um misterioso norte-americano, Phill Reynolds, responsável pelo acobertamento das evidências do caso Roswell, para investigar pistas do caso Varginha. Nessa hora, também entra em cena uma investigadora da polícia federal – Lígia –, igualmente contactada por Reynolds, que faz um meio de campo entre os ufólogos e o governo brasileiro. O mais interessante no livro é que o leitor leigo não sabe dizer onde termina a realidade e começa a ficção. As evidências dos principais casos ufológicos – com destaque para Roswell, Varginha e a aparição no forte de Itaipu – são apresentadas consistentemente através da narrativa, costuradas com a linha fictícia de uma investigação policial. A missão de Roberto é entender os acontecimentos que sacudiram a cidadezinha mineira em janeiro de 96, descobrir a origem de um rapaz muito estranho internado num hospício da região naquela mesma data e perseguir o rastro da nave supostamente caída.
O livro ainda traz um adendo com um resumo do caso Varginha, que colocou o Brasil no mapa da ufologia mundial. Em 1996, o avistamento de objetos voadores em Minas Gerais, seguido da aparição de duas criaturas estranhas em um campo baldio em Varginha gerou uma intensa movimentação das forças armadas na cidade. Nos dias subseqüentes, uma operação militar cuidou do transporte da misteriosa carga até um hospital de Campinas. Para deixar o caso ainda mais suspeito, nesse mesmo período uma leva de oficiais norte-americanos e até pesquisadores da NASA veio ao Brasil, seguindo diretamente para Campinas. E como sempre, a resposta do governo e das forças armadas foi que não aconteceu absolutamente nada fora do comum, como se a mídia, as testemunhas e os próprios bombeiros e soldados envolvidos houvessem delirado tamanha operação de guerra.
De Roswell a Varginha é uma leitura rápida, muito movimentada e instigante, que não deixa desvanecer as interrogações de um passado recente, levando-nos a repetir a pergunta que nunca se calou…

Afinal, o que foi que aconteceu?