h1

Fábulas no Zine Overclock #4

novembro, 8 - 2008

Em setembro, durante o evento Invisibilidades, que reuniu em São Paulo um verdadeiro clã de estudiosos e admiradores da FC no Brasil,  chegou em minhas mãos o fanzine de cybercultura Overclock, editado por Rodolfo Londero e pelo Wandeclayt M., quem tive o prazer de conhecer nesse mesmo evento. Para minha surpresa, encontrei em suas páginas uma excelente resenha do Fábulas do Tempo e da Eternidade, comentado sob o ponto de vista de um fã e estudioso da ficção cyberpunk.

Deixo meu muito obrigada ao Rodolfo. Segue a resenha na Overclock #4:

overclockzine

“O futuro serve somente aos condores, que são frios de coração. Está sentenciado desde o início dos tempos: aquele que toma o destino ao alcance dos olhos inevitavelmente abdica de ser parte dele.”

Estas palavras encerram um dos contos do livro de estréia da jovem Cristina Lasaitis e, de alguma forma, remetem ao duro ofício de escrever ficção científica: o futuro imaginado pelos escritores cyberpunks, por exemplo, não mais pertence a eles, porque envelheceu, tornou-se presente. Mas isto não impede que outros escritores apresentem releituras interessantes dos futuros que já passaram: Fábulas do Tempo e da Eternidade (2008) traz duas pequenas preciosidades para os amantes da ficção cyberpunk.

Logo de cara, a proposta de Além do Invisível é instigante: uma bela história de amor… cyberpunk! Talvez alguns leitores interpretem como tragédia, mas deixemos apenas uma pergunta para não revelar o final: quem realmente são os protagonistas do conto? Também não queremos revelar nada, mas certamente Donna Haraway perguntaria satisfeita após ler este conto: qual é o sexo das inteligências artificiais? Ma enfim, apesar de sua relação de amor e ódio com o estilo pós-modernista de William Gibson (como afirmou numa entrevista recente), Lasaitis consegue, tal qual o autor de Neuromancer, criar metáforas valiosas a partir de novas tecnologias: logar na conta de outra pessoa é acessar o âmago dela, dividir a mesma conta é “partilhar uma sociedade tão íntima…”

Mas se Além do Invisível é uma inusitada história de amor, Meia-Noite é uma extrapolação social nos moldes da melhor crítica cyberpunk. Nesta continuação de Além do Invisível, mas que também tangencia Revés Alquímico, formando uma trama de relações que outros contos do livro também apresentam, Lasaitis reflete sobre as tenebrosas implicações sociais e políticas advindas do crescimento desse fascinante monstro chamado rede mundial de computadores (que Frederic Jameson já o indicou como uma “figuração distorcida” do capitalismo tardio):

“Desde a integração, a movimentação financeira da conta de Syl ia se somar à movimentação de bilhões de contas para gerar uma projeção das marés capitalistas na tela ocular dos especuladores internacionais, seu biochip de comunicação eletroencefálica era detectável por satélite e passível de monitoramento, o marca-passo no peito de seu avô estava conectado ao sistema da clínica de cardiologia e à boa vontade de um médico mercenário. Tudo era de todos e todos tinham um cordão umbilical plugado na Dexatron“.

Lasaitis também oferece uma solução – a desconexão total da rede -, mas podemos e devemos pensar em outras…

Mas é uma injustiça não mencionar a qualidade das outras fábulas do livro, muitas dotadas daquela especulação hard que também arrebata admiradores da ficção cyberpunk. Pensamos principalmente em Viagem Além do Absoluto, na verdade, tal qual Quarantine de Greg Egan, classificado como “cyberpunk em flocos” por Andrew Butler e “quantum-punk” por Carlos Pavón, este conto dobra em poesia as concepções científicas de um Hawking. Quem conhece o cyberpunk sabe que sua estética é muito mais que couro negro e implantes cibernéticos… É hard sf poética, como são os melhores contos de Fábulas do Tempo e da Eternidade.

Rodolfo Londero

Anúncios

2 comentários

  1. Cristina, muitos parabéns pela crítica. Fiquei de facto com vontade de ler contos seus. Andei à procura no seu sitio mas não encontrei indicação de nenhuma ficção online. Posso humildemente sugerir que disponibilize um conto ou parte de contos para aguçar o apetite (não sei o que vc pensa de colocar ficção grátis online)? Para mim tem resultado bem.

    Outra possibilidade seria enviar uma colaboração para o meu Tecnofantasia.com, mas suponho que isso seria pedir de mais… :))))

    Cumprimentos do outro lado do oceano!
    LFS


  2. Oi Luís, obrigada!

    Sugestão atendida, estava mesmo faltando os links para meus contos publicados na internet.

    Podemos conversar sobre uma colaboração, claro. Estou te mandando um e-mail.

    Abraços ultramarinos



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: