h1

Meu vício predileto

janeiro, 16 - 2009

cafe

Não saio de casa sem o pretinho básico. De vez em quando, se bebo demais, bate uma sensação de estômago corroído e uma ligeira percepção de entorpecimento – efeito que costumo atribuir ao adoçante, ou talvez ao plástico da colherinha.

O coração fica meio descompassado, mas não é de paixão. Mexe de um jeito meio errado, criando um vácuo no peito – oi! estou aqui! – Mexe como quem não quer ser esquecido. Não escolhe hora para debandar a bater, às vezes no meio da propaganda da Telessena, às vezes durante o sono sem sonhos, ou numa visita ao banheiro, ou virando a esquina de casa… Dizem que é por causa da cafeína. Eu insisto: é culpa do adoçante, vou mudar de marca.

Um dia, ele – seu coração – dá um salto no peito e te põe num baita susto. É aí que você promete: vou parar de tomar por um tempo.

Dito. Dito e feito.

Entra em jogo a neuroquímica dizendo: esquece, você não vai conseguir; se não conseguiu parar de roer unha em vinte anos – as unhas!, que só servem para remoer a ansiedade e não dão nenhum barato – imagine se vai aguentar viver sem a molécula chave da alquimia metropolitana!

Você percebe que está viciado quando tenta parar e descobre que não dá. Dois dias de abstinência é o limite.

O despertador toca, o dia começou sem pedir licença. Você acorda sem acordar, se autoexpulsa da cama. Vai tomar o café da manhã sem café – ou seja, toma só a manhã. Fecha a porta de casa e o corpo segue por inércia, dormindo nas profundezas do cérebro o sono das múmias. A calçada é cinza, as casas são cinzas, os carros são cinzas, o cachorro é invisível (você não viu e foi logo chutando). Anda por aí que nem um zumbi, se arrastando. Pega o metrô e percebe que o tempo se move aos saltos. Agora eu existo, agora não. Existo. Não existo. Estou. Não estou (deixe recado na caixa postal). Tenta ler um livro, precisa amarrar a mente em algo que lhe prenda na realidade. Lê um parágrafo, uma página, dez folhas… e o que estava escrito mesmo? Não faço idéia.

O dia não rende. Você faz o trabalho com o mesmo prazer de alguém que faz um tratamento de canal: anestesiado.

Alguém lhe vê de olhos baixos, pensa que está de porre – você tomou alguma coisa? Não, o problema é esse: eu deixei de tomar! E adoraria ir tomar bem agora… em qualquer lugar.

Chega em casa um trapo. Cai na cama e dorme que nem um bebê (o que não quer dizer necessariamente que irá acordar babado, melado e vomitado, isso não). Dez, doze irremediáveis horas de sono; uma verdadeira hibernação. E se não dormir o suficiente, o dia seguinte será a mesma maravilha.

Por fim, dor de cabeça.

E na manhã seguinte vem aquele cheiro inconfundível de um pretinho bem passado, que o faz esquecer que um dia na vida teve dor de estômago – é melhor que a enxaqueca de ontem, que andar de olhos baixos e ser daltônico por opção – esquece do coração destrambelhado. O coração descompassa, mas é de fissura. Vai buscar a xícara. Melhor, a tigela de sopa! E toma pela primeira vez em dois dias o café da manhã com café.

E o mundo volta a ser como era antes. Você e a molécula, felizes para sempre…

* * *

Motivos para você também tomar, beber ou encher a cara, a seu critério:

Beber café pode prevenir o Alzheimer, diz estudo.

Café reduz risco da doença de Parkinson, indica estudo.

Mulheres que bebem café tem risco reduzido de câncer de ovário.

Consumo de café protege fígado contra cirrose e câncer.

Cafeína reforça a barreira hematoencefálica prevenindo doenças neurológicas.

Beber café melhora o humor, deixa a pessoa mais desperta, melhora a capacidade de raciocínio e retenção de conhecimento.

Cafeína demais pode causar alucinação, diz estudo. (agora sei que nunca tomei o bastante)

Anúncios

9 comentários

  1. Pena que café não ajuda, infelizmente, a escrever! Mas ainda bem, né?


  2. Ajuda sim, Rodolfo!
    Eu, que sou desbravadora solitária da madrugada, acho impossível escrever sem.

    O raciocínio flui que é uma beleza. Os dedos ficam espertos, ligeiros. A noite sempre parece estar só começando.

    Maravilha!


  3. Rodolfo, Café ajuda muito a escrever. Mas não garante a qualidade do texto. A garantia da Cris é ela mesma.


  4. Eu ia escrever um post agora, mas o cheirinho do café sendo passado na cozinha aqui de casa acabou de chegar as minhas narinas… 🙂


  5. Fiquei muito impressionado com esse seu texto sobre o vicio do café, gostei muito da prosa escrita, toque de escritora mesmo; muito gostoso de ler, apreciei a forma como voce descreve o efeito da bebida no seu dia a dia e toda a magia em torno do café da manhã, valeu !! Um dia reuna todos esses seus textos do blog, só os melhores e publique como um livro de memorias, vai ficar jóia!


  6. Cris, ainda acho que o nome dessa sensação corrosiva é gastrite… rs!

    I smell coffee… I smell DEPENDANCE.

    (Falou a surtada que não consegue levar o dia sem um copão de leite com chocolate.)


  7. Cris, cê devia ver essa gastrite viu.

    Bom eu gosto de começar o dia com um bom cappuccino ^^


  8. Eu não dispenso meu pretinho por nada nesse mundo.

    Vi o link do seu espaço lá no meio da turma do Novas Visões e vim conferir. Muito prazer =)

    Beijo e bom fim de semana!


  9. morei muito tempo em uma regiao produtora de cafe, meu tio era corretor e sempre levava para minha avó torrar , uns 2 ou 3 quilos de cafe em grao de vez em quando.Se eu sentia cheiro de cafe sendo torrado era pq perderia parte da tarde em um moedor manual transformando em um pó fino e preto esses graozinhos. Pó preto como carvão moido e não um pó marrom escuro como agora.Isso é resultado da mistura , permitida por lei, de cascas torradas, grãos verdes e cafe velho. Lei feita na republica do pão de queijo do itamar franco, se não me engano,( que um meteoro gigante caia sobre ele ), e isso pode ser o motivo dos problemas do estomago. No meu tempo era milho seco e sementes de mamao que eram torradas junto do cafe para aumentar o volume. Vc percebia , ao tomar uma xicara o gosto diferente. Hoje não bebo mais.Devido a qualidade desisti do café industrializado.



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: