h1

Fábulas do Tempo e da Eternidade

julho, 27 - 2009

Uma resenha vinda do outro lado do Atlântico, pela Cristina Alves, uma super-leitora e resenhista de FC e Fantasia.

2505831

Fábulas do tempo e da eternidade é a primeira colectânea de contos de Cristina Lasaitis, um conjunto de doze contos que se centram, como o título indica, em torno da temâtica tempo Vs eternidade e se enquadram nos géneros fantástico e de FC.

O primeiro conto tem como título Para além do Invisível e centra-se num encontro virtual entre duas pessoas.. mas uma destas, Maya, é algo mais do que revelou ao amante. Anos mais tarde encontramos as mesmas personagens no último conto, Meia-Noite. Neste à hora marcada, uma entidade artificial e inteligente é obrigada a atacar o servidor de uma empresa, com o objectivo de fazer evoluir as capacidades cognitivas de uma inteligência artificial, a ela semelhante, que comanda o servidor.

Um dos contos que mais apreciei foi Irmãos Siameses. Este retrata a sobrevivência de duas crianças que, numa aldeia isolada e pobre nos Andes, nascem coladas, espelho uma da outra, mas tão opostas em carácter como o Sol e a Lua – e assim são nomeados, Mani e Luri. De pensamentos e desejos opostos, os dois irmãos aprendem a grande custo a coordenarem as suas acções e movimentos.

Num outro conto, Assassinando o tempo, uma cientista prova que o tempo não existe e torna possível a comunicação com pessoas de épocas diferentes. Esta possibilidade dá origem ao conto Os parênteses da eternidade, em que dois jovens, embora separados por 250 anos, se comunicam e estabelecem uma forte amizade. 

Caçadores de Anjos é um conto que se destaca dos demais, bem distinto destes que acabo de referir. Num mundo em decadência, em que até os anjos são banidos por Deus e caem na Terra como trovões, uma caçadora de anjos procura resgatar, das mãos de Lucifer os seres alados.

Para além destes contos, presenciamos à descoberta de uma Pedra Filosofal amarga em Revés Alquímico,  a uma viagem através do tempo nas asas de um Condor em As Asas do Inca, ou ao final do Universo em Viagem além do Absoluto.

Todas as histórias possuem algo de original e o tom da narração difere consoante os acontecimentos que nos são relatados: nalguns os termos deslizam para o linguajar tecnológico, noutros para vocabulário alquímico. Este é um conjunto coeso de contos (excepto por uma ou duas histórias) que parecem ter alguma continuidade entre elas e formar um círculo, como indicado no relógio que nos serve de índice – no final, retornamos à história inicial.

Anúncios

One comment

  1. Excelente resenha, muito enxuta e coesa.



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: