h1

Um lugar para escrever

março, 3 - 2010

Retiro para escritores

É uma dessas iniciativas que nunca se viu no Brasil, mas que nos países anglófonos prospera. A princípio, a ideia funciona nas bases de uma organização de escritores/artistas/whatever sem fins lucrativos que mantêm uma casa num lugarejo tranquilo, onde escritores selecionados ganham hospedagem gratuita durante algumas semanas ou meses enquanto trabalham em suas obras. Um lugar silencioso, sem vizinhos barulhentos, sem telefone tocando ou familiares que não entendem porque você fica nervoso cada vez que é interrompido. Um lugar perfeito se você é do tipo ermitão ou tem fantasias de isolamento. Ainda assim, um lugar onde você não morrerá de tédio, onde poderá passear e terá a companhia de outros escritores, que estarão ali pelas mesmas razões que você e com quem poderá trocar ideias e leituras críticas.

Nos EUA existem alguns retiros gratuitos que atingem esse ideal. O escritor candidato submete para avaliação um projeto literário ou um pedaço do livro em andamento. As análises geralmente são feitas por um comitê de profissionais do ramo literário e levam em conta o mérito do autor e a relevância da obra. Caso selecionado, o candidato tem direito a uma estada gratuita, que pode durar de poucas semanas a alguns meses. Alguns retiros admitem apenas dois escritores por vez. Em geral, os hóspedes têm transporte próprio (carro) e se encarregam das próprias refeições e da limpeza do local. Soapstone e Hedgebrook são dois retiros que funcionam nesse sistema, com o porém que são exclusivos para escritoras. A parte boa é que alguns retiros gratuitos admitem também estrangeiros. Conheci uma escritora paulistana que passou uma temporada em uma fazendinha nos EUA bancada por uma organização de escritores. Para isso ela precisou apenas mandar o projeto do livro em inglês e sua única despesa foi com a passagem de avião.

Segundo a lógica capitalista: mercado gera mercado. Como existe uma verdadeira indústria literária nos países de língua inglesa, com um considerável número de escritores que vivem de sua produção, também surgiu um novo ramo na indústria do turismo: o de serviços especializados para escritores. Hoje em dia existem retiros pagos com as tabelas de preços mais variadas: é possível encontrar desde a singela cabana no meio do mato aos palácios cinco estrelas em santuários naturais. O tipo de serviço também varia: há os retiros onde o autor simplesmente leva seu notebook e trabalha por conta própria, e também aqueles que oferecem cursos de imersão ministrados por escritores laureados, com direito a consultoria com editores e agentes literários. Há programas de retiro que são oferecidas por agências turísticas e há pousadas que simplesmente se especializaram em hospedar escritores. A variedade é impressionante. Com uma simples busca no google, pode-se encontrar retiros em quase todos os países da Europa, da América do Norte e da Oceania.

Por que não no Brasil?

Porque seguindo a mesma lógica capitalista: onde não tem mercado, não tem indústria. Nossa falta de tradição literária e a pobreza de nossos escritores pode ser uma parte da justificativa, a falta de incentivo ou de iniciativa, a outra parte. Um retiro de escritores pode ser facilmente organizado, e eventualmente pode ser uma opção mais barata (e bem mais democrática) do que as bolsas literárias hoje concedidas pelo Ministério da Cultura. Por exemplo: pode-se incluir na Lei Rouanet a compra de imóveis (como chácaras e casas de campo) para fins de produção cultural – ou seja, para serem usados como retiros de escritores e artistas – esses imóveis seriam administrados por uma ONG ou pela empresa privada à qual pertencem, e seriam destinados à hospedagem gratuita ou de baixo custo a escritores com projetos avaliados por mérito. Essa seria uma das formas viáveis de se inaugurar um retiro de escritores no Brasil. Mas existem outras opções, que podem partir da iniciativa dos próprios interessados, por exemplo: um clube de autores contrata uma agência de turismo, que contrata uma pousada, onde será organizado um retiro de poucos dias, com oficinas de escrita e outros eventos literários. O pacote incluiria hospedagem, pensão completa e ônibus fretado a um preço mais acessível.

É claro que qualquer chácara da tia ou casa de praia pode virar um bom retiro de escrita. Conheço gente que escreve tranquilamente em mesa de bar ou banco de parque. Mas seria interessante haver um lugar onde as pessoas vão para escrever, onde escritores vão para passar um tempo em companhia de outros escritores, onde possam trabalhar longe da confusão do dia-a-dia, mantendo foco na produção e de preferência sem ter que pagar o preço de um hotel. Eu bem que gostaria de passar uns tempos longe da civilização e voltar com um romance pronto. Não custa espalhar essa ideia!

Listo abaixo alguns dos vários “retiros de escritores” existentes no exterior.

Soapstone (Oregon, EUA) – Retiro para mulheres escritoras. 35 candidatas são escolhidas anualmente para permanecer gratuitamente de 1 a 4 semanas (apenas 2 hóspedes de cada vez). Inscrições vão de julho a agosto, análise por mérito.

Hedgebrook (Washington, EUA) – Retiro para mulheres escritoras cuja filosofia é trazer profissionais do mundo inteiro. 40 candidatas são escolhidas todos os anos para permanecer gratuitamente de 2 a 6 semanas (apenas 2 hóspedes por vez). Inscrições vão de junho a setembro, análise por mérito.

A Room of Her Own (Novo Mexico, EUA) – Retiro para mulheres escritoras, tem como filosofia a troca de experiências entre mulheres do mundo inteiro, de variados segmentos sociais e profissionais. Sedia eventos e workshops. Oferece programa de bolsas com análise por mérito.

The Writer’s Retreat – Uma rede de 7 retiros localizados nos EUA, Canadá, Espanha e Costa Rica. O período mínimo de permanência é variável. Lugares e preços: Castellón, Espanha – €2240/mês (min. 2 meses); South Carolina, EUA – US$725/semana; Pennsylvania, EUA – US$450/semana; Georgia, EUA – US$600/semana; Vermont, EUA – US$560/semana; Ojochal, Costa Rica – a partir de US$560/semana; Quebec, Canadá – US$495/semana.

Olvar Wood (Queensland, Australia) – Retiro mantido por uma organização de escritores, promove cursos e workshops. A partir de AU$550 o final de semana ou AU$1250 uma semana em quarto para 1 ou 2 pessoas.

Varuna (New South Wales, Australia) – Oferece hospedagem através de programas seletivos e não seletivos, alguns programas cobram apenas a taxa de inscrição. Análise por mérito. O mínimo de permanência é de 3 semanas.

Trek Larapinta (Northern Territory, Australia) – É uma compania sediada em Alice Springs e especializada em turismo de aventura pelo outback australiano. Oferece também um programa de retiro para escritores no deserto a AU$1490 por uma semana.

The Porches (Virginia, EUA) – Retiro de escritores em uma bela casa de fazenda, o aluguel semanal de um quarto sai por US$350.

St. Andrews (New Brunswick, Canadá) – Oferece um programa interessante no qual escritores profissionais convidados se hospedam de graça para orientar escritores iniciantes, que pagam um aluguel salgado de US$1000 por semana.

Anam Cara (West Cork, Irlanda) – Retiro para escritores e artistas em um paraíso perdido da Irlanda. Sedia eventos e workshops. A hostess é escritora e editora experiente e acompanha a agenda de produção dos hóspedes. Estadia mínima de uma semana. Preço sob consulta.

La Muse (França) – O retiro fica em uma charmosa vila medieval no sul da França. Trabalha tanto com hospedagens pagas quanto programas por mérito. O aluguel do quarto sai a partir de €700 por um período mínimo de 3 semanas.

Writing Away Retreats (Colorado, EUA e Australia) – Um dos serviços mais caros e sofisticados. Oferece acomodações luxuosas e pensão completa (com open bar!). O programa dura 5 dias e 5 noites, oferece consultoria em tempo integral com autores, editores e agentes literários, sai a partir de US$2200, mais US$500 só para reservar a vaga.

Casa de La Pace (Úmbria, Itália) – Retiro de duas semanas na cidade de Assis, com aulas em inglês de escrita criativa, ioga e pilates. Sai pela bagatela de €1320.

Tuscan Writer’s Retreat (Toscana, Itália) – Oficina de imersão altamente especializada para escritores de ficção e não-ficção, com romancistas, roteiristas de cinema e um ou outro prêmio Pulitzer. Tudo isso numa belíssima vila medieval “sob o sol da Toscana”,  com preços que variam de US$1850 a US$2000 por uma semana.

Lemuria Writing Sanctuary – A primeira vez que entrei neste site, pensei se tratar de um resort paradisíaco situado em algum lugar muito misterioso. Revirei feito louca os links até descobrir que essa terra maravilhosa fica em lugar nenhum, é na verdade um paraíso virtual compartilhado por escritores, poetas e artistas, engendrado pelo pessoal do Soul Food Café. Fica a título de curiosidade, já que a própria internet pode se tornar um refúgio de escrita.

Anúncios

14 comentários

  1. Olá Cris!

    Bom, percebo que você adquiriu um novo sonho de consumo…

    Achei muito interessante a idéia.
    Mas como comentei com um amigo no Buzz, acho difícil o governo aprovar a criação de um espaço assumidamente de ócio criativo.

    teria de ser uma proposta muito bem montada e apresentada.

    Prém se isso chegasse a acontecer… que diferença!

    Seria o tipo de negócio que eu administraria com prazer.


  2. Hmmm, que idéia maravilhosa, não sabia que existia no mundo real. O único retiro de escritores que eu conhecia era aquele do livro Assombro, do Chuck Palahniuk (que não é um lugar lá muito agradável, rs).


  3. Pois é, rapazes.
    Nos EUA e Europa existem várias casas e hospedagens de escritores. O que me espanta é na América Latina inteira não haver NENHUMA!


  4. E sobre o ócio criativo, não dá na mesma o ministério da cultura pagar R$30.000 para um escritores cartas-marcadas produzirem seus livros, aqueles mesmos que ninguém lê e raramente ouvimos falar?
    E esses projetos em que pagam pros escritores carta-marcada fazerem turismo pelo exterior e depois escreverem qualquer coisa?

    Fico p*** com a forma em que se simula um investimento em cultura neste país!


  5. Que sonho, hein? Ultimamente meu quarto vem suprindo com certa qualificação as minhas fantasias de isolamento, embora eu sempre sonhe com algo realmente longe da civilização, devido a esse meu lado bicho sepre aflorado. E sou obrigado a concordar contigo Cris, em gênero número e grau sobre a simulação de investimento em cultura (e por que não dizer, também em educação) que faz o nosso governo. Contudo, ainda me resta um fio de esperança. Beijos e parabéns pelo post.


    • Pois é, Átila. Nossos quartos ainda são um bom refúgio (e mais baratos).
      Obrigada e beijos


  6. Olá Cris. Meus parabéns pela matéria. É uma ideia excepcional e que acredito ser viável. Só é preciso uma visão mais ampla das coisas, mas isso implica a mudança de certos paradigmas. É possível, enfim. 🙂


    • Obrigada, Cláudio.

      Pois é, esse país precisa de mais empreendedores.
      (olha para os lados, silêncio…)


  7. […] assim, não custa nada sonhar. Como a também escritora de ficção científica Cristina Lasaitis, neste post sobre lugares feitos sob medida para escritores. São hotéis, pousadas e retiros que possuem pacotes de estadia para que você se hospede para […]


  8. Excelente post, muito informativo e tratando de um assunto que eu desconhecia em absoluto !


    • De nada 😉


  9. Olá eu queria te convidar a entrar no meu blog http://www.gabpattz.wordpress.com/ e ler a minha historia.
    A cada semana eu posto mais um pedacinho e as pessoas vão acompanhando.
    obs: Não se esqueça de comentar. 1000 beijos e eu te espero lá!!!


  10. eu maristela gosto muito de escreve que eu acha muito bom que as pessoas pensam na vida beijojs


  11. Oi, sou professor universitário de Letras, escritor e blogueiro, e ultimamente tenho penado muito para achar um lugar aqui no Rio como o que você bem chamou de Retiro de Escritores. Encontrei um outro colega blogueiro que comentou sobre um lugar ótimo em nova iorque (http://barrosbar.blogspot.com/2009/05/paragraph-um-lugar-de-trabalho-para.html). Não sei se isso faz parte da nossa mentalidade tupiniquim, mas é raríssimo ser respeitado enquanto escritor pelas pessoas. Normalmente o que a gente mais ouve é “ah, escreve em qualquer lugar”, ou “e precisa de lugar pra escrever”. Há gente que não, como você disse, mas, na maioria das vezes, e é o meu caso, é preciso um escritório, com paz, tranquilidade, harmonia, nossa biblioteca… Seria uma ótima iniciativa aqui no Rio de Janeiro ou em qualquer cidade: um lugar com estilo e adequado à profissão da escrita… Muito boa postagem, parabéns!



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: