Archive for agosto \22\UTC 2015

h1

Escuchar con los ojos a los muertos

agosto, 22 - 2015

Um dos mais belos sonetos com os quais tive a felicidade de me deparar. Sua melodia é tão perfeita no castelhano que eu não ousaria macular com uma tradução.

Retirado en la paz de estos desiertos,
Con pocos, pero doctos libros juntos,
Vivo en conversación con los difuntos,
Y escucho con mis ojos a los muertos.

Si no siempre entendidos, siempre abiertos,
O enmiendan, o fecundan mis asuntos;
Y en músicos callados contrapuntos
Al sueño de la vida hablan despiertos.

Las Grandes Almas que la Muerte ausenta,
De injurias de los años vengadora,
Libra, ¡oh gran Don Josef!, docta la Imprenta.

En fuga irrevocable huye la hora;
Pero aquélla el mejor cálculo cuenta,
Que en la lección y estudios nos mejora.

(Francisco de Quevedo)

Anúncios
h1

Entrevista muito curta comigo mesma

agosto, 1 - 2015

Cris, você parou de escrever?

Não. O que acontece é que arrumei uma faculdade, aquários, trabalhos, cursos extracurriculares mais ou menos longos e, em suma, um monte de desculpas para justificar minha procrastinação. Por esses mesmos motivos, faz tempo que não tenho feito postagens neste blog (o que não significa que o abandonei, porque ele está linkado no meu <3).

Mas Cris, você vai escrever?

Estou tentando, estou tentando. Sempre anoto ideias. Mas há mais coisas que se passam pela minha cabeça também, e a mais premente delas é a quantidade de ruído no mundo.

Você já notou? São 7 bilhões de pessoas produzindo ruído – informação nos mais diferentes níveis de utilidade – um verdadeiro bombardeio! Assim como não gosto de ter minha atenção disputada com coisas que não me interessam, não me importam, ou não me dizem nada especial, creio que devo poupar a atenção e o tempo dos meus leitores potenciais e oferecer a eles apenas aquilo que acho muito importante, ou que sei que irá compensar o tempo precioso que eles irão investir para ler o que produzo. Em outras palavras, quero ser boa editora do meu conteúdo.

Não é que eu não tenha coisas importantes a dizer, ou histórias que merecem ser contadas. Mas o drive para escrevê-las, o sentimento de urgência, a ansiedade em falar – eu não fazia ideia que essas coisas mudavam com o tempo. Muitas prioridades podem caber em uma vida, escrever é só uma delas.

Mas Cris, você não vai publicar nada novo?

Sim! Detesto falar de coisas que não estão totalmente confirmadas e encaminhadas, mas tenho negociações em andamento para novas publicações, e deve demora menos do que eu acreditava.

Cris, você tem alguma mensagem para os fiéis leitores deste blog que você praticamente desertou há tanto tempo?

Obrigada pela audiência e pela paciência 😉