Posts Tagged ‘blá blá blá’

h1

Achismo jornalístico

julho, 3 - 2009

Com a morte do tiozinho-que-anda-pra-trás na semana passada, aconteceu o milagre d’eu assistir a mais noticiários de TV do que não costuma acontecer em um ano inteiro (leia-se: muito pouco).

Me pareceu incrível o número de horas que os programas conseguem segurar a audiência com um mínimo de informação relevante, aproveitando somente o impacto da notícia.

Pensando numa equação de “informação/tempo gasto”, o custo-benefício é ínfimo. E a gente assiste mesmo assim! Como pode???

Lembro de estar acompanhando o jornal do SBT no dia que Mr. Jackson morreu, no momento em que foi ao ar uma super-reportagem exclusiva ao vivo da correspondente em Los Angeles em frente ao casarão do rei-do-pop:

O âncora diz:

– E quais são as últimas notícias?

– Estamos em frente à casa do astro, os fãs começam a chegar, e blá blá blá blá (= nenhuma novidade).

– E quais são os próximos passos?

– Ainda nenhuma informação do que será feito, blá blá blá (= nenhuma novidade)

– E já há uma data para o funeral?

– Não, ainda não há nenhuma informação sobre a data, blá blá blá blá (= nenhuma novidade)

– Fulana, o que você ACHA que vai acontecer a partir de agora? (hein, ouvi direito??)

– É, eu acho que… (ELA ACHA????!!)

Aí eu pensei bem e achei que era hora de desligar a TV.

a-morte-de-nao-se-sabe-quem

E finalmente lembro porque odeio assistir televisão.

h1

To tweet or not to tweet

junho, 11 - 2009

Existem 2 tipos de pessoas: aquelas que não usam twitter e aquelas que sabem que você comeu picles com batata frita no café-da-manhã, que está saudades do seu hamster e acabou de comprar uma cueca do Bob Esponja na promoção.

                                     Tao Chen Xing – sábio chinês

 

I choose:

twitter-bird [   ] To tweet       

noto[X] Not to tweet

O passarinho até que é bonitinho, mas eu realmente não sinto o menor interesse em saber que parte as pessoas estão coçando neste exato momento.

Será que sou normal?

h1

O mistério das estatísticas do WordPress

junho, 4 - 2009

De todos os servidores da blogosfera que usei até hoje, o wordpress é certamente o melhor e mais legalzinho (apesar de sabotar meus devaneios criativos como web designer). Uma das coisas que mais curto é o sistema de estatísticas detalhado que permite ao autor saber a quantas anda o ibope do blog.

Acabei de dar uma espiada nas estatísticas de entrada pelos search engines, os mecanismos de busca (=google), que acusa quais os termos de pesquisa foram usados pelas pessoas que chegaram até o blog. Veja só que interessante o que encontrei:

wordpresstatistics

Vê-se que o Copérnico, o Enigma e os retratos da leitura deram uma boa ajudinha, e o meu livro também foi bem procurado. O maior número de ocorrências foi  pelo meu nome, até aí é compreensível. Mas o segundo maior termo de pesquisa… “homens nus excitados” ??!! Alguém me explica what the fucking porra conection isso tem com o meu blog?

Assunto do meu maior interesse, como vocês podem ver (sim, isso foi uma ironia).  

Aprendi uma coisa nova hoje: nunca subestime o poder metafísico da pornografia!

Bruna Surfistinha, me aguarde!

h1

Ditados reeditados

maio, 22 - 2009

Essa listinha me foi cedida pela spam-girl Mila F. Achei bem útil, resolvi compartilhar.

Ditados revisados para o século XXI:

A pressa é inimiga da conexão.

Amigos, amigos, senhas à parte.

Antes só que em chats aborrecidos.

A arquivo dado não se olha o formato.

Diga-me que chat freqüentas e te direi quem és.

Para bom provedor uma senha basta.

Não adianta chorar sobre arquivo deletado.

Em briga de namorados virtuais não se mete o mouse.

Em terra off-line, quem tem discada é rei.

Hacker que ladra, não morde.

Mais vale um arquivo no HD do que dois baixando.

Mouse sujo se limpa em casa.

Melhor prevenir do que formatar.

Quando a esmola é demais, tem vírus anexado.

Quando um não quer, dois não teclam.

Quem ama um 486, Core duo lhe parece.

Quem clica seus males multiplica.

Quem com vírus infecta, com vírus será infectado.

Quem envia o que quer, recebe o que não quer.

Quem não tem banda larga, caça com discada.

Quem nunca errou que aperte a primeira tecla.

Quem semeia e-mails, colhe spams.

Quem tem dedo vai a Roma.com.

Um é pouco, dois é bom, três é chat.

Vão-se os arquivos, ficam os back-ups.

h1

Mulheres na comédia

fevereiro, 13 - 2009

Tenho sentido muita falta, e olha que tem gente talentosa por aí.

Um apelo:

Garotas, façam comédia!

Marcela Leal (e Genial), comediante stand-up

 

Agnes Zuliani, comediante da Terça Insana

h1

Delírios consumistas, parte 1

fevereiro, 2 - 2009

abaixo-o-stress

Smashing Clock

O conceito é simples: o despertador toca e você o desliga com uma porrada. Uma legítima maravilha antiestresse! Quer coisa melhor?

Só que a patente ainda não foi comprada por nenhum fabricante, o que significa que por enquanto você não vai encontrar o smashing clock em lugar nenhum, a menos que encomende diretamente com o inventor.

É uma das várias tranqueiras geniais do site Techguru (valeu pela dica, Gi!).

Ah, e veja só, tem também a impressora movida a café, a RITI Coffee Printer:

7178

É só botar o que sobrou da borra naquele compartimentozinho que ela sai imprimindo. E viva a tinta ecológica!

Acho que vou anotar na minha wishlist…

h1

A Louca!

outubro, 22 - 2008

Entrei no quiz da carta de tarô. Olha só o resultado:

Você é o Louco
Idéias, pensamentos, espiritualidade, esforço para se elevar além do material.
O louco é uma carta de infinitas possibilidades. A bolsa e o cajado que carrega indicam que ele tem tudo o que precisa para ser e fazer tudo o que quiser, ele apenas precisa parar e desembrulhar. Está sempre a caminho de um novo recomeço. A carta também carrega uma pequena advertência: pare de fantasiar e devanear à luz do dia, olhe por onde anda ou pode levar um tombo e acabar fazendo papel de bobo.

What Tarot Card are You?
Take the Test to Find Out.

h1

Dispensa palavras

setembro, 23 - 2008

Hope – Apocalyptica

 

“Quando crescer, quero ser vocalista de banda instrumental” – disse o mudo.

h1

Como ser eterno

agosto, 29 - 2008

Diamantes são eternos. Pessoas são efêmeras. Você não gostaria de ser um diamante?

A empresa suíça Algordanza fabrica diamantes a partir das cinzas de pessoas falecidas. O processo envolve compressão de meio quilo de cinzas a altíssimas temperaturas, até que os átomos de carbono da pessoa que já se foi adquirem a forma cristalina de um diamante. A composição de cada pessoa é única, logo, a composição do diamante também será. No final, o diamante é polido, lapidado e aí é que entra a beleza da coisa: você pode transformar seu ente querido em uma jóia em forma de coração (ou no formato que preferir) e carregá-lo com você pelo resto da vida.

Diamante Algordanza 

Não vou mais querer virar purpurina, mudei de idéia…

h1

Quais são suas ambições?

agosto, 5 - 2008

Sometimes I just feel like happy hour…

Créditos: O PhD. Comics é um site muito legal de tirinhas que satirizam (com muito realismo) a vida dos pós-graduandos e seu mundinho acadêmico de relatórios torturantes, congressos intangíveis, orientadores invisíveis e deadlines-surpresa. É um jeito bem inteligente de se rir da própria desgraça.

Agora me dá licença que eu tenho que terminar esse relatório…

h1

Time Machine (and marriage through time)

agosto, 3 - 2008

h1

O Rap do LHC

agosto, 2 - 2008

Olha só o que os físicos do CERN aprontaram:

Essa turma sabe como deixar uma nerd (e tarada por aceleradores de partículas) exultante. É simplesmente genial!! Não há maneira mais didática de explicar bóson de Higgs e microdimensões! A compositora é Kate McAlpine, uma escritora de ciências de 23 aninhos que trabalha no CERN (Kate, do you want to marry me?!!!), ela disse que escreveu a música em 40 minutos, num percurso de ônibus entre Genebra e o laboratório, é mole?

Agora cante comigo:

LHCb sees where the antimatter’s gone.
ALICE looks at collisions of lead ions
CMS and ATLAS are two of a kind:
They look for whatever new particles they can find.
The LHC accelerates the protons and the lead,
and the things that it discovers will rock you in the head…